Filtração - Deixe sua piscina nos trinques!

Filtração - Deixe sua piscina nos trinques!

Escrito por Portal de São Francisco
Ter, 11 de Outubro de 2011 04:00
PDF Imprimir E-mail
filtrabem-noticias-23-piscina-filtradaA filtração precisa ser feita TODOS os dias do ano. Para isso, toda piscina deve possuir um sistema de recirculação que retira a água da parte mais funda do tanque - ou também pelo Skimmer, ou coadeira, quando existir - passando pelo pré-filtro, bomba, filtro e então retorna à piscina pelo lado mais raso.

 

Todos os equipamentos são ligados por tubulações, conexões e válvulas hidráulicas.

Após um período de funcionamento, acumula-se sujeira no filtro, fazendo com que a vazão da bomba diminua ou a sujeira comece a retornar para a piscina. Para resolver este problema, todo filtro possui uma válvula que permite retrolavar a areia. A retrolavagem é um processo que retira a sujeira do filtro e a joga fora.

Recomendações técnicas

Toda a instalação deve possuir registros, válvulas e conexões para permitir a retirada do filtro e motobomba para uma eventual manutenção, bem como para evitar perda de água para o esgoto.

O sistema filtro/motobomba deve ser instalados o mais próximo possível da piscina.

O sistema deve estar "afogado", ou seja, abaixo do nível da piscina sempre que possível, se não será necessária a utilização de válvula de retenção.

A casa de máquinas deve ser um local seco, ventilado e protegido das intempéries, com espaço suficiente para uma tranqüila manutenção.

As instalações elétricas e hidráulicas da piscina devem atender as especificações das normas da ABNT e/ou regulamentação local.

Manutenção Periódica

Limpar periodicamente o cestinho do pré-filtro.

Efetuar a retrolavagem da areia sempre que a pressão nos manômetros se mostrar necessária.

Verificar eventuais vazamentos na tubulação.

Em filtros de aço verificar o ânodo.

Verificar a areia, ou meio filtrante, e substituí-lo se necessário.

Não deixe de executar a manutenção periódica só porque é INVERNO. Lembre-se da sua piscina em qualquer ESTAÇÃO do ano, pois limpá-la depois no verão sai mais caro e demorado.

Dicas importantes

Nunca mude a posição da alavanca da válvula do filtro, com a motobomba ligada.

Nunca feche todos os registros a não ser para manutenção.

Nunca deixe a motobomba funcionar sem água ou sem circulação de água, exceto para teste por período curto.

Antes de ligar o sistema, verificar se a tampa do pré-filtro está bem fechada e se os registros e válvulas estão na posição correta.

Não mude a bomba do sistema filtrante por uma maior (pode danificar o tanque) ou menor (diminui a eficiência).

Nunca utilize produtos que possam danificar o meio filtrante.

Como aspirar sua piscina

Ressaltando a importância da filtração, ela retira da água toda a sujeira que está suspensa, mas o que depositou no fundo deve ser retirado com o Aspirador que complementa todo o trabalho de filtragem. A aspiração da piscina deve ser feita de acordo com a necessidade, mas NUNCA menos que uma vez por semana.

Os aspiradores mais comuns são os manuais, ligados ao sistema de filtração com mangueiras flexíveis, conectados ao bocal. Efetuando manobras em registros do sistema de filtração, é possível fazer toda a água passar pelo aspirador levando com ela a sujeira que ficar retida no filtro e retornar para a piscina. Chamamos isto de aspirar filtrando. Existem no mercado vários modelos de aspiradores para se fazer este trabalho.

Uma outra maneira de aspirar a água com a sujeira é jogá-la diretamente no esgoto, sem passar pelo filtro, o que chamamos de aspirar drenando.

Aspirar filtrando

É o mais aconselhável, pois não há nenhum desperdício de água. Mas é bom lembrar que é necessário, sempre após a aspiração, retrolavar o filtro.

Aspirar drenando

Deve ser feito somente quando o fundo da piscina estiver muito sujo ou com produtos químicos que possam estragar a areia do filtro.

Escovação e peneiração da piscina

Deve ser feita para retirar sujeiras e possíveis manchas das paredes da piscina e para retirar materiais sólidos tanto da superfície como do fundo.

A escovação e peneiração devem ser executadas sempre que necessário, facilmente detectável e distinguível com apenas um exame visual da piscina…

IMPORTANTE: Para se ter um tratamento perfeito, os equipamentos e as instalações devem ser apropriados ao uso, tipo e tamanho da piscina.

Seleção de filtros - Escolha o seu!

Todo esse processo de filtragem e limpeza exige que os filtros para piscina devem ser dimensionados a partir do volume de água contido no tanque (piscina) e do tempo de recirculação desse volume de água.

Tratamento químico

Água não estabilizada e neutra causa incômodo ao usuário, e como água de piscina praticamente é sempre a mesma, uma vez tratada não se altera, a não ser por fatores externos tais como: chuva em excesso, água de reposição ou produtos químicos. O tratamento químico pode ser de MANUTENÇÂO ou de CHOQUE. O ideal é uma manutenção constante, pois com isso nos livramos das dores de cabeça e da frustração de não poder usá-la quando quiser, além de ser muito mais barato.

O tratamento de manutenção pode ser dado em doses "homeopáticas", custando bem menos, pois é controlado e atende somente as necessidades da água, mantendo-a sempre cristalina e com aspecto saudável.

No tratamento de choque, deve-se usar uma quantidade MAIOR de produtos e é preciso aguardar também um tempo mais longo para obtenção de resultados e a utilização da piscina.

OBS: O tratamento de choque, na prática, somente é dado em piscinas abandonadas e seus métodos vão desde uma dosagem bem maior de saneaste até uma decantação, utilizada normalmente como último recurso. E NÃO DEVE ser adotada freqüentemente. Este tratamento fica mais caro, não só pelos valores dos produtos envolvidos, mas também pelo desperdício causado, uma vez que decantando-se uma piscina, devemos em seguida aspirar o fundo drenando, jogando fora a água e os produtos aplicados.

O uso do pH correto

O pH correto para piscinas oscila em 7,2 / 7,6, isto é, levemente básica. Assim favorece a ação dos saneastes e o conforto dos banhistas. O pH desajustado provoca irritação da pele, dos olhos e mucosas; age ainda na turbidez da água e na ineficiência dos produtos saneastes utilizados para o tratamento, pois influi diretamente no meio onde ocorrerão as reações destes produtos. A água ácida produz ainda a corrosão das peças metálicas e a água alcalina provoca a deposição de substâncias. Por isso a importância em se MEDIR o pH como primeiro passo ao iniciar o tratamento.

Acerte a alcalinidade

A alcalinidade total é medida em ppm (partículas por milhão) e o ideal para uma piscina é que se mantenha entre 80 ppm e 120 ppm; isso trará estabilidade ao pH e dispensará correções freqüentes.

Aumentar a alcalinidade: adicione um elevador de alcalinidade

Reduzir a alcalinidade: adicione um redutor de pH

Como evitar...

  1. Algas
  2. Para evitá-las, que vêm basicamente da chuva e exposição ao tempo, cubra regularmente sua piscina com uma capa apropriada, e use algicidas apropriados para eliminá-las;

  3. Bactérias
  4. Detritos que caem e se decompõem na água é que contribuem para aparecem as bactérias, trazendo doenças e micoses, e a sua prevenção é muito simples; basta manter a água sempre com saneantes a níveis aceitáveis. Peneirar, escovar e aspirar também é de suma importância;

  5. Fungos

O pH desajustado é um dos fatores que favorece muito a rápida multiplicação de fungos. Esta é uma das razões para que se mantenha o pH sempre ajustado.

OBS: O uso correto de saneantes previne o surgimento de fungos.

Auxiliares de filtração

Para melhorar a eficência dos FILTROS indicamos que sejam usados os AUXILIARES DE FILTRAÇÃO, pois além de ajudar na filtragem da água impedem que pequenas partículas - como poeira - voltem para a piscina, deixa a água mais transparente e cristalina.

Cloração da água

Mantenha a água de sua piscina sempre clorada entre 1,0 a 3,0 ppm para eliminar toda a contaminação invisível tais como bactérias, fungos e outros microorganismos causadores de diversas doenças. E também para evitar que outras impurezas, como algas e os mais variados resíduos orgânicos se acumulem na água e tornem-se visíveis, comprometendo o aspecto visual.

Ao Colocar Cloro na Piscina, seja Cauteloso! (cloro granulado)

  1. Mantenha o pH sempre na faixa de 7,2 a 7,6;
  2. Espalhe os grânulos diretamente sobre a superfície da água, usando uma caneca dosadora como medida. Em piscinas de fibra e vinil, dissolva-os antes num balde plástico com água da própria piscina;
  3. Faça essa manipulação sempre à noite, pois a luz solar decompõe o cloro e pode perder seu efeito;
  4. Na manhã seguinte a aplicação, analise o residual de cloro para certificar-se de que esteja entre 1,0 a 1,5 ppm. Se estiver fora dessa faixa, ajuste a dosagem na aplicação seguinte.

 

Notas: NUNCA use a piscina se constatar que o cloro livre for maior que 3,0 ppm e NÃO aplique no mesmo dia cloro e algicida de choque ou manutenção!

Fonte: http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/piscinas/index.php