Atividades em piscina

Atividades em piscina

Escrito por Portal São Francisco
Seg, 05 de Março de 2012 00:00
PDF Imprimir E-mail
filtrabem-noticias-35-atividades-em-piscinaA piscina oferece diversão e lazer. É local saudável, a ser compartilhado com a família e amigos para atividades lúdicas e esportivas tanto no lar, como em clubes, hotéis, balneários públicos ou privados.

 


Proporciona a prática de esportes aquáticos, competitivos ou não, amadores e profissionais, como natação, polo aquático, vôlei aquático, saltos ornamentais, nado sincronizado, inclusive modalidades que constam do quadro de esportes olímpicos, que têm dado medalhas ao Brasil. Além disso é utilizada em fisioterapia e exercícios físicos, como a hidroginástica, ginástica para gestantes e desenvolvimento de atividades motoras em pessoas portadoras de deficiências.

Tipos de piscina

A piscina não é apenas um reservatório de água, ela agrega o filtro, a bomba, ralo, dispositivos específicos, como hidromassagem, cascata, iluminação e aquecimento, tudo coordenado na casa de máquinas.

Quanto aos tipos, podemos dividi-las em sua concepção estrutural ou nas suas formas e dimensões.

Estruturalmente tem-se quatro tipos básicos , concreto armado , alvenaria, fibra de vidro e vinil.

Quanto às dimensões e formas podemos dividi-las em dois grupos: as oficiais com dimensões e formas padronizadas e as não oficiais que seguem a determinação do cliente que as encomenda.

Para obter bons resultados na aquisição de uma piscina procure profissionais com experiência de mercado.

Cuidados específicos para a prática da atividade

Em hotéis e locais públicos exija a presença de um salva vidas com conhecimento específico em salvamento e primeiros socorros.

É recomendável o traje de banho, sem utilização de calçados, a não ser os especiais para piscina, pois roupas pesadas e sapatos comprometem sua mobilidade. Prenda cabelos compridos para prevenir-se de sucção pelo ralo. Via de regra, quem exercita natação, utiliza maiô que deixa livres os braços, toca para prender os cabelos, óculos apropriados e tampões auriculares, para evitar entrada de água nos ouvidos.

Crianças, e quem não sabe nadar, devem utilizar colete salva-vidas ou boias próprias.

A piscina e o meio ambiente

Piscinas são construídas na maioria das vezes com o intuito lúdico e de integração com a natureza. Assim cria-se um ambiente natural controlado que incorpora a vegetação e a água, tornando a paisagem ao seu redor além de saudável, agradável aos olhos.

O tratamento de sua água segue normas rígidas, que são colocadas de maneira clara nos rótulos dos produtos para tratamento e conservação da água, inclusive, por imposição legal.

Principais riscos da atividade

Afogamento com óbito (asfixia mecânica por meio líquido);
Eletrocussão (contato da água com energia elétrica) ;
Congestão;
Tetraplegia e paraplegia (geralmente por impacto da cabeça no fundo da piscina);
Traumas variados (por brincadeiras inadequadas, com impacto nas bordas).

Dicas de segurança

Tenha sempre em mente as seguintes regras básicas, exigindo inclusive essas atitudes de prestadores de serviços em hotéis, clubes e ambientes públicos:

Aprenda ou saiba nadar;
Verifique se o deck está limpo, livre de objetos cortantes, objetos de vidro ou que possam criar perigo de um tropeção;
Mantenha eletrodomésticos ou outros utensílios elétricos longe da piscina;
Atenção para fiação elétrica adaptada ou exposta próxima à piscina;
Verifique se o piso e os degraus ao redor da piscina são de material antiderrapante;
Utilize-se sempre do corrimão da escada, para entrar e sair da piscina;
Antes de mergulhar certifique-se de que a profundidade da piscina é suficiente;
Após a ingestão de bebida alcoólica ou alimentos não entre nem permita o acesso à piscina;
Evite e proíba brincadeiras do tipo empurrar pessoas ou "cavalinho";
Verifique se próximo à piscina e à vista existem equipamentos salva vidas, como por exemplo, mastro sólido (não dobrável) e boia salva- vidas com corda;
Aprenda práticas de primeiros socorros. Se acontecer um afogamento, você poderá checar os sinais vitais e dar suporte até que chegue o socorro;
Coloque capas protetoras e certifique-se de que seja resistente, a ponto de suportar o peso de dois adultos ou então, construa cercas de isolamento, equipadas com portões e trava próprios. Esses apetrechos evitam a entrada de pessoas quando a piscina não estiver em uso;
Verifique se as aberturas e elementos de sucção têm seus protetores devidamente instalados e em bom estado;
Verifique se a manutenção e tratamento da piscina estão adequados.

Veja o modelo oficial utilizado nos Estados Unidos, obrigatório em piscinas públicas, para identificação de riscos:

(seguem os sinais e seus significados)

Crianças, um caso à parte

Dicas para pais ou responsáveis:

Nunca deixe crianças brincando na piscina sem um responsável por perto. Ainda que a piscina seja somente para crianças, saiba que elas podem se afogar mesmo “dando pé”;
Somente algumas aulas de natação ou o nado "cachorrinho" não asseguram que a criança possa ficar sozinha;
Nunca deixe brinquedos em volta da piscina e muito menos dentro da água;
Não permita que crianças corram perto da beira da piscina, empurrem outra pessoa ou brinquem de afundar dentro da água;
Se a criança engolir muita água, sempre busque atendimento médico;
Crianças pequenas ou que não sabem nadar muito bem devem ter boias salva vidas adaptadas ao seu tamanho;
Evite bóias infantis tipo “pneus” pois elas não garantem a permanência da criança à tona.

PRINCÍPIOS DE PRIMEIROS SOCORROS

Exija sempre a presença de um salva vidas em piscinas públicas ou faça um curso de primeiros socorros para garantir o suporte básico em caso de ocorrência.

Em caso de afogamento:

Coloque o acidentado fora da água o mais rápido possível;
Aqueça o acidentado;
Deite a vítima de costas, se possível com a cabeça mais baixa do que o corpo;
Inicie a respiração boca a boca;
Vire a cabeça da vítima para o lado, em caso de vômito;
Remova imediatamente a vítima para o Hospital mais próximo.

Em caso de traumatismo:

Imobilize o acidentado;
Mantenha sempre reta e imobilizada a cabeça da vítima;
Evite aglomeração em torno do acidentado.

Em qualquer caso, chame ajuda imediatamente, acionando o serviço de salvamento mais próximo ou o Corpo de Bombeiros ou o serviço de emergência da Secretaria da Saúde do Município.

Fonte: http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/piscinas/piscinas-4.php.